Eu tenho muitas lembranças da minha primeira infância: o colo do nono, a varanda enorme da casa amarela de janelas azuis, a caixa que guardava lenha e era o banco em frente ao fogão… Mas tem uma lembrança que eu tenho revivido muito ultimamente… Quando eu ficava quietinha (coisa rara até, pois sempre falei pelos cotovelos) eu ficava imaginando como seria quando eu crescesse, eu me via com vestidos bonitos, luzes, palco, pessoas me aplaudindo, eu sorria muito, dançava e cantava, cantava… Me via na Xuxa, treinava as respostas das entrevistas, ensaiava mentalmente como me movimentar no palco, ouvia rádio e inventava nome de sucessos que seriam anunciados no meu nome… Eu sempre quis ser cantora.

Da menina que imitava artista na frente da TV até os 5/6 anos, mudamos de casa e fiquei mais retraída. Tinha vergonha de falar sobre isso, era uma realidade tão diferente da que estava ao meu redor, mas sentia e queria muito: “eles não vão entender se eu falar que quero ser cantora, vão rir de mim.” Então eu construía meus shows na minha cabeça. Nesse período até os 10/11 anos (quando me apresentei pela primeira vez) não lembro de cantar pela casa, nem no banho, nem sozinha, no máximo cantava com as tias na missa aos domingos… Mas eu ensaiava o tempo todo em silêncio, como se a minha cabeça estivesse cantando com cada música que ouvia no rádio, eu treinava tanto que eu tinha certeza que cantava bem e direitinho, pois na minha cabeça eu fazia isso.

Outro dia ouvi uma história muito bonita, de um amigo que não tinha piano e treinava movimentos com as mãos e com a imaginação. Isso ficou na minha cabeça, lembrei de mim… Eu sinto como se cantasse desde sempre. E sempre cantei mesmo…

Na roça, Rio da Vaca, Rio Capivaras Alto, com os pais agricultores plantando fumo (roça de fumo é sofrida…), talvez fosse improvável alguém sonhar em ser artista… Mas eu sonhei!

Sempre que acontece algo marcante no meu caminho eu revivo esse gosto de sonho realizado.

A vida é bonita, é benção! Seus sonhos e seus Dons podem transformar este mundo num lugar melhor, não se intimide.

Não vou só em busca do fim, eu vivo do cortejo e o meu desejo é ser melhor.

Foto: Giuliane Gava

Tags:
1 Comentário
  1. Daniela Souza Corbellini 7 meses atrás

    Impossível não te amar Lilian!
    Cada vez que te ouço e te conheço melhor, mais te admiro!

    Sucesso sempre!

    =diraiê

Envie uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

ou

Fazer login com suas credenciais

Esqueceu sua senha?